Ilha de Corfu

Ilha de Corfu, uma deliciosa mistura da Grécia e da Itália. Aliás, a Sereníssima, ou melhor, a República de Veneza, permaneceu em Corfu por 400 anos, até o domínio napoleônico da Europa.

Ilha de Corfu

De fato, Corfu é a principal ilha de um arquipélago de la Mer Ionienne, contendo 7 ilhas e ilhotas. Era o destino preferido de Zeus para fugir das crises de ciúmes de sua esposa Hera. Zeus, ele, o próprio, não poderia ter escolhido nada melhor do que as ilhas gregas para seu habitat natural. As imagens são testemunhas.

Mer Ionienne

O ambiente de Corfu é tipicamente napolitano ou siciliano; bastante movimentada, muito barulhenta, e, nas fachadas coloridas dos prédios (de 3 ou 4 andares) muitas roupas penduradas nas janelas balançando pra lá e pra cá, como se fossem bandeirolas. Tudo faz parte do décor. Pasmem, somos, até mesmo, presenteados pelo habitual teatro cotidiano nas calçadas, no bom estilo napolitano ou siciliano. Teatro nas calçadas!? Sim. A vida para os italianos é um eterno teatro.

Na esplanada, praça principal, é onde tudo acontece. Situada entre o centro histórico e a velha cidade, um verdadeiro labirinto de ruas e ruelas tortuosas. Não tem como não se perder, mas é muito fácil se encontrar, porque por onde andamos deparamos com as águas azuis mediterrâneas do mar. E como Malta, Corfu resistiu com bravura aos cercos otomanos de suas impenetráveis cidadelas à beira mar, de um lado e de outro da pequenina e graciosa capital que tem o mesmo nome da ilha, Corfu.

Nesta época do ano, ou seja, no outono, é a melhor para visitar Corfu. Não deparamos com numerosos gigantes navegando entre mares e oceanos nem tampouco atracados nos cais, com 2,3,4 mil passageiros a bordo. Sem falar dos sucessivos pousos e decolagens de diversas cidades alemãs, inglesas e italianas deixando as ilhas gregas irrespiráveis com a indústria do turismo do século XXI. Os meses de julho e agosto, as ilhas são tomadas por um mar humano, em busca de sol, muito calor e praias paradisíacas.

Corfu

citadelap

A beleza de Corfu, imortalizada na Odisseia, nunca deixou de inspirar grandes artistas, e Goethe, um deles. A imperatriz Elizabeth da Áustria, carinhosamente chamada de Sissi pelos europeus, era uma eterna apaixonada pela mitologia grega. Em corfu foi edificado um castelo, uma verdadeira obra-prima, que a imperatriz batizou como Achilleion, uma homenagem ao grande herói da Guerra de Troia.

Corfu

Corfu

Nos jardins do castelo, não ficamos indiferentes diante da expressão no rosto da estátua de Aquiles morrendo com a flechada que recebeu acima do calcanhar, bem na altura de onde passa o tendão de aquiles. Após o assassinado de Sissi, às margens do Lago Léman em Genebra, na Suíça, pelo anarquista italiano Luigi Luckeni, foi instalada nos jardins do Achilleion uma suntuosa estátua de Aquiles com dimensões colossais. Desta vez, em herói e de pé. Afinal de contas, um herói não morre. Nunca.

Aquiles

Aquiles

Corfu

Em uma viagem de Sissi, em Troia (atual Turquia), enquanto a imperatriz permanecia estupefata, perplexa, incrédula diante do túmulo de Aquiles; sua dama de honra, não via outra coisa,  a não ser um amontoado de velhas pedras em ruínas. A mitologia grega nos faz sonhar, viajar no tempo, num mundo mágico, embora seja extremamente complexa. Uma viagem à Grécia, sem penetrar no fascinante mundo da mitologia grega, no mundo da Grécia antiga, não tem muito sentido.

Troia

A ilha de Ítaca, faz parte do arquipélago. Ela é também conhecida com a ilha de Ulisses, imortalizada pela mitologia grega. Um dos mitos de Ulisses na narrativa de Homero, nos 10 anos de Ilíada e 10 anos de Odisséia, surpreendentemente moderna em grande parte, nos faz refletir. Durante os 20 anos da grande aventura de Ulisses, sua fiel e honesta esposa Penélope, soube recusar com sabedoria as investidas de numerosos pretendentes. Diante da insistência, ela decidiu que aceitaria a corte dos pretendentes assim que terminasse o sudário para Laerte, pai de Ulisses. Durante o dia Penélope tecia, e à noite, secretamente ela desmanchava todo seu trabalho e recomeçava tudo no dia seguinte. Com esse estratagema, Penélope esperava adiar ao máximo possível dar uma resposta aos seus pretendentes. Nem queria desagradá-los. Agindo assim, ela nunca disse sim, tampouco disse não aos seus pretendentes, mantendo-se fiel ao grande e eterno Ulisses até seu retorno da Guerra de Troia. Enfim, há mais de 2800 anos, Homero não para de nos encantar…

Ítaca

Les images des îles de la Mer Ionienne sont à couper le souffle et les plages paradisiaques. Zeus avait fait le bon choix, en choisissant les îles grecques pour ses escapades amoureuses et pour tous les immortels, mais aussi, pour les simples mortels. Evidemment!

Ilha de Zante

Ilha de Zante

 Beach, Parga, Greece

Ilha de Paxos

Corfu é o ponto central para vários destinos turísticos para outras ilhas do arquipélago, como Paxos um destino bastante solicitado por sua beleza natural e não muito distante de Parga, uma cidade situada no continente.

Ilha de Paxos

Parga

Parga

Nas Tavernas são servidas as especialidades típicas da Grécia e numerosas iguarias. T-A-B-E-P-N-A no alfabeto latino, assim fica mais fácil. Aleluia! Merci beaucoup mil vezes aos gregos, pelo savoir-vivre e, sobretudo, pelo savoir-faire à la grega que vem dos tempos de Homero… Et encore une fois, one more time, thank you.

Corfu

As opções são inúmeras, entre as quais, o balneário albanês às margens de Saranda, uma cidade na região. Mas, no entanto, o que mais atrai multidões de turistas nestes confins do mundo albanês, num vai e vem sem cessar de barcos, são as ruínas do que foi um dia uma riquíssima e próspera cidade greco-romana, chamada Butrint. Ela fica a poucos quilômetros de Saranda. No local, ficamos incrédulos diante tamanha beleza, de uma cidade genuinamente, augusta.

Butrint

Butrint

Butrint

Outro fato que chama atenção em Butrint, é o engenhoso sistema de abastecimento. Na Antiguidade, O que não faltava era água. Em nossos dias, a cidade vizinha Saranda, tem água nas torneiras, mas, apenas 2 horas por dia. A história recente da Albânia, ainda respira o odor do comunismo. Um país europeu e por décadas totalmente isolado por uma ditadura comunista que controlava o país com mão de ferro, e próxima da ditadura comunista chinesa. O país era considerado, uma Coreia do Norte, em solo europeu. Com o fim da ditadura comunista, o país vai se abrindo pouco a pouco ao resto do mundo… Mas, mal causado pela perversão da ideologia comunista levará décadas para ser totalmente extirpado. Antes tarde do que nunca.

Saranda

Albânia

Pôr do sol

Até a próxima viagem!

 

As imagens desse post foram enviadas pela própria autora: Marlene Santos (instagram: @marlenesantos_40)

Total Views: 251 ,

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário